Máscara respiratória se torna obrigatória em cidades do Brasil

Máscara de proteção respiratória

O uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) tem se destacado como uma das principais ações com o propósito de prevenir contra o novo coronavírus, cuja principal forma de contágio é pelo ar. A máscara de proteção respiratória é o EPI mais indicado para bloquear as partículas e gotículas, impedindo assim a contaminação do usuário por vias respiratórias e, por isso, sua utilização tem sido recomendada por diversos órgãos reguladores.

Embora inicialmente recomendada apenas para profissionais da área da saúde e pacientes que apresentam sintomas de contaminação, a máscara respiratória tem sido declarada como item obrigatório em diversas cidades brasileiras. Isso acontece em virtude de registros que mostram o avanço do número de contaminações no País, que já registra mortes em todos os estados e apresenta uma crescente demanda dos recursos do sistema de saúde.

Esta tendência à obrigatoriedade do EPI representa uma mudança significativa nas orientações desde que a pandemia teve início, em dezembro de 2019. Isso porque nos primeiros meses de contágio, a maioria dos países e até mesmo a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmavam que o uso das máscaras por pessoas saudáveis não era eficaz, mas agora muitos governantes e entidades tem recomendado a proteção do rosto para todos os cidadãos.

De acordo com muitos especialistas, esta recomendação inicial tinha a intenção de impedir que as pessoas saíssem todas em busca do EPI, esgotando os estoques e deixando os profissionais de saúde sem acesso ao dispositivo. Agora, entretanto, a recomendação e até mesmo a obrigatoriedade de uso das máscaras de proteção respiratória estão sendo gradativamente adotadas pelos países e pelas cidades brasileiras.

O que é o novo coronavírus?

O nome coronavírus diz respeito a uma família de vírus com perfil microscópico em forma de coroa e que causa diversos tipos de infecções respiratórias. Este grupo de agentes foi isolado pela primeira vez na história em 1937, e a maioria das pessoas é exposta a diversos tipos de coronavírus ao longo de sua vida, embora nem sempre apresentem algum sinal de doença ou dano à sua capacidade respiratória.

O novo coronavírus que tem causado tanto transtorno ao redor do mundo foi descoberto no final de 2019, na China, sendo identificado como Sars-Cov-19. A doença respiratória causada por este agente recebeu o nome de Covid-19, e é caracterizada por uma síndrome respiratória aguda que pode se tornar bastante grave e trazer um grande impacto para a saúde pública.

Uma das principais preocupações relacionadas à Covid-19 diz respeito à sua elevada taxa de transmissão. Além disso, ainda não há uma cura e nem um tratamento medicamentoso específicos para a doença, o que torna o tratamento bastante complicado e as complicações bastante inesperadas. Por enquanto, o que tem sido feito nos casos positivos da doença é acompanhamento dos parâmetros de saúde e controle dos sintomas.

A transmissão ocorre principalmente pelo ar ou pelo contato direto com secreções contaminadas, o que requer bastante cuidado com superfícies ou objetos que possam conter gotículas de saliva, de espirro, de tosse ou catarros. Também é recomendada atenção ao lidar com pessoas que podem estar doentes e, por isso, uma das medidas de prevenção mais eficientes e seguras é o isolamento social.

Qual a importância das máscaras respiratórias?

Por causa de como ocorre a transmissão do novo coronavírus e dos diversos estudos apontando que a maior parte das infecções partiu de pessoas assintomáticas, as máscaras de proteção se destacam como o principal EPI capaz de impedir a propagação da doença. Isso acontece porque o dispositivo funciona como uma barreira física que, ao mesmo tempo que impede a entrada de gotículas e partículas contaminantes, também evita que elas se espalhem caso o usuário esteja com o vírus sem saber.

Vale lembrar, entretanto, que é essencial que as máscaras sejam usadas de maneira correta, o que inclui cuidados específicos como:

  • Sempre lavar as mãos com água e sabão antes de colocar a máscara no rosto;
  • Não tocar na parte do tecido que ficará em contato com a face;
  • No caso dos dispositivos descartáveis, não ultrapassar 2 horas de uso;
  • Após posicionar corretamente a máscara, não ficar tocando o rosto a todo momento para ajeitar o dispositivo;
  • Não reutilizar máscaras descartáveis e, no caso dos modelos de pano, sempre higienizar adequadamente o EPI entre um uso e outro.

Onde as máscaras são consideradas obrigatórias no Brasil?

Em São Paulo e Manaus, os prefeitos publicaram decretos apenas recomendando o uso das máscaras. Em Campinas (SP), entretanto, o uso do equipamento de proteção é obrigatório em locais específicos, como os chamados serviços essenciais (saúde, abastecimento e alimentação), enquanto em Guarulhos (também no estado de São Paulo) a obrigatoriedade vale ainda para idosos que precisam frequentar esses serviços considerados essenciais.

Em Curitiba, por outro lado, o uso da máscara de proteção respiratória é obrigatório em todos os espaços públicos, comerciais e de uso coletivo desde o dia 16 de abril. A mesma obrigatoriedade passará a valer igualmente no Rio de Janeiro em 23 de abril, e uma multa está sendo estudada para quem deixar de cumprir a norma.

Diversas outras cidades brasileiras já determinaram a obrigatoriedade do uso de máscara respiratória, enquanto muitas outras pelo menos recomendam o uso delas. Por enquanto, considerando o dia 19 de abril, as cidades que determinaram a necessidade das máscaras de proteção facial são:

  • Manaus (AM) — recomendação;
  • São Paulo (SP) — recomendação;
  • Guarulhos (SP);
  • Campinas (SP);
  • Guaratinguetá (SP);
  • Praia Grande (SP);
  • Porto Feliz (SP);
  • Tremembé (SP);
  • São José do Rio Pardo (SP);
  • Macaé (RJ);
  • Belo Horizonte (MG);
  • Betim (MG);
  • Fortaleza de Minas (MG);
  • Santa Luzia (MG);
  • Pedro Leopoldo (MG);
  • Lagoa Santa (MG);
  • Contagem (MG);
  • Nova Lima (MG);
  • Curitiba (PR);
  • Foz do Iguacu (PR);
  • Londrina (PR);
  • Paranaguá (PR);
  • Jardim Alegre (PR);
  • Campo Largo (PR);
  • Salvador (BA)
  • Vitória da Conquista (BA);
  • Campo Grande (MS);
  • Caxias do Sul (RS);
  • Santa Maria (RS) — recomendação;
  • Uruguaiana (RS);
  • Ivoti (RS);
  • Santana do Livramento (RS);
  • Erechim (RS) — recomendação;
  • São Sepé (RS);
  • Farroupilha (RS);
  • Florianópolis (SC);
  • Balneário Camburiú (SC);
  • Blumenau (SC);
  • Tubarão (SC);
  • Jaraguá do Sul (SC);
  • Todas as cidades do Mato Grosso.

Saiba mais

Quer saber mais sobre o uso de máscaras de proteção no combate à Covid-19 e a importância do uso de EPIs? Então preencha o formulário abaixo com seu e-mail e receba todo o material produzido regularmente pela SafetyTrab!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

7 + dezesseis =

WhatsApp chat